Erro

Depressão: Quais as causas e como tratar?

Postado por Central Psicologia em 23/07/2017 14:54:54


O modo como se vive na contemporaneidade afeta diversas questões no ser humano, inclusive a saúde mental, isto se refere às mudanças nas relações interpessoais, à nova forma de comunicação, às cobranças sociais, enfim, diante disso, a depressão é considerada o mal do século.

De maneira geral, pode-se dizer que se trata de um distúrbio afetivo caracterizado por apatia, sentimento de tristeza profunda, perda de interesses, queda da autoestima e pode haver ideação suicida, além de sintomas físicos como alteração do sono, do apetite, da disposição e, por fim, de sintomas cognitivos, como alteração da capacidade de concentração, de atenção e de linguagem. No entanto, o conceito de depressão é mais amplo do que se imagina.

O que é depressão?

O Código Internacional de Doenças classifica o Transtorno Depressivo em diferentes itens, dentre eles os mais comuns estão discriminados a seguir:

  • Episódios Depressivos: são muito comuns na maioria das pessoas, trata-se de episódios isolados de queda no humor, perda de disposição, pausa em atividades cotidianas, dificuldade de concentração, perda de libido, perda de interesses pessoais, enfim, os sintomas duram um período determinado e pode ser classificado nos níveis leve, moderado e grave de acordo com a quantidade de sintomas e duração do episódio.
  • Transtorno Depressivo Recorrente: caracterizado pela repetição e insistência de episódios depressivos, ou seja, não se trata mais de episódios isolados, há intensa melancolia e presença dos sintomas já mencionados;
  • -Distimia: transtorno de humor persistente por vários anos, caracteriza-se por ser de menor gravidade. Os sintomas são os mesmos encontrados nos demais tipos, no entanto são de caráter constante.

Vale, ainda, destacar que a depressão pode existir em concomitância com outras condições de saúde, isto é, pode se apresentar como comorbidade e se relacionar com abuso de álcool e drogas, doenças clínicas, estresse e outros transtornos psicológicos.
 

Causas da depressão

Ainda não há consenso entre as diversas áreas do conhecimento sobre a causa da depressão. A psiquiatria, os diferentes enfoques da psicologia, a neurociência, enfim, se dirigem à causalidade deste transtorno de formas diferentes, válidas e que devem ser consideradas em associação.

É observada a alteração de neurotransmissores, como a queda da serotonina, da dopamina e da noradrenalina, o que causa o rebaixamento do humor e a perda de interesse e disposição, bem como a alteração de GABA e acetilcolina.

Os fatores psicológicos incluem lutos mal elaborados, situações adversas da vida, descontentamento profissional, familiar ou pessoal, histórico de abuso sexual ou abuso moral, traumas na infância, bullying, entre outros.
 

Tratamento da Depressão

O tratamento da depressão deve incluir a psicoterapia e, na maioria dos casos, a administração de antidepressivos. A adesão ao tratamento é de enorme importância, pois sem ele o risco de suicídio é aumentado.

A psicoterapia é fundamental no tratamento deste transtorno, porém por mais incrível que pareça, nem sempre é adotada como medida indispensável e o paciente passa a aderir apenas aos medicamentos. A medicação é essencial para reorganizar os níveis de neurotransmissores, enquanto que a psicoterapia é importante para “tratar a raiz do problema”, por isso, o efeito do antidepressivo é potencializado com a psicoterapia.

Nem todos os pacientes depressivos têm capacidade financeira para fazer psicoterapia, por isso vale ressaltar que há atendimento psicológico gratuito em diversos órgãos públicos e em universidades que possuam clínicas-escola.

Há também pacientes que possuem a capacidade financeira, porém têm dificuldade de deslocamento e de tempo, para estes indica-se o atendimento online, que oferece a praticidade e a disponibilidade de profissionais capacitados. A Central Psicologia oferece as opções de atendimento online via chat, via Email e via Skype.

Além do tratamento propriamente dito, também se faz importante a ajuda de amigos e familiares, os quais devem conversar, ouvir e apoiar o paciente.