Erro

Como cuidar da Autoestima?

Postado por Paula Nayara Bezerra da Silva em 14/12/2020 10:52


A autoestima pode ser definida como o conjunto de pensamentos, sentimentos e comportamentos que você tem acerca de si mesma e da forma como interage com as pessoas ao seu redor. Dizemos que a pessoa tem uma baixa autoestima ou uma elevada autoestima e isso interfere na sua forma de lidar com as pessoas no trabalho, nos estudos, nas relações familiares e amorosas. A maioria das pessoas acreditam que a autoestima está relacionada a forma de aceitar o próprio corpo e aparência física, mas a verdade é que, sim, a autoestima tem a ver com gostar do que vê no espelho, mas a questão vai muito além disso. Segue abaixo alguns tópicos relacionados a uma baixa autoestima, para que possamos entender como ela se expressa das mais diversas formas:

  • Ter dificuldades em dizer “não”, e não estabelecer limites nas relações interpessoais;
  • Falta de confiança em si mesma;
  • Insegurança nos relacionamentos, dando abertura ao ciúmes
  • Precisar da aceitação e aprovação dos outros;
  • Ter dificuldades em reconhecer as próprias qualidades;
  • Medo de ser rejeitada/abandonada;
  • Medo de expressar as próprias opiniões.
  • Achar que não merece as coisas boas da vida
  • Faz muita autocritica e autossabotagem.

Enfim, esses são alguns dos pontos presentes na rotina de uma pessoa com baixa autoestima. Caso você tenha se identificado com vários dos tópicos acima, é importante procurar ajuda profissional (psicoterapia) para trabalhar a sua autoestima num processo de autoconhecimento, visando que você aprenda a se amar em primeiro lugar e a ter uma melhor qualidade de vida, assim como nas suas relações. Vale pontuar também que muitas pessoas com transtornos depressivos e ansiedade apresentam baixa autoestima, que muitas vezes só é identificada no processo terapêutico. Assim, como a baixa autoestima pode ser uma das causas para desencadear ansiedade, depressão, transtornos alimentares, entre outros.

Mas, por que é tão importante fazer terapia para melhorar a autoestima?

Vamos lá! Uma baixa autoestima proporciona sentimentos e crenças negativas acerca de si mesma e do futuro, o que por si só, já percebemos que é algo extremamente ruim. A baixa autoestima leva a pessoa a não se aceitar do jeito que é (aparência física, qualidades e defeitos, por exemplo) e a pessoa, consequentemente sofre com isso e acredita que não é merecedora do amor do outro. Afinal, como achar que alguém pode te amar de verdade, se você é o primeiro a não se amar? Além disso, ter baixa autoestima te coloca numa posição de se sentir dependente dos outros, a ponto de fazer tudo pelo outro para ser aceito e valorizado, medo de falar o que pensa e sente para não ser rejeitado. Essa insegurança faz a pessoa temer ser abandonada a qualquer momento e nisso faz coisas até mesmo contra a própria vontade, somente para agradar aos outros. A necessidade de ser aceito é tão grande que a pessoa apresenta dificuldades em dizer “Não”, se culpa e se critica sempre que algo não sai como desejava (sem levar em conta outros fatores que possam ter contribuído para o resultado negativo). Vale ressaltar que em relacionamentos abusivos/tóxicos, por exemplo, em que a mulher se torna submissa e vítima de agressões psicológicas, moral, sexual, há uma mulher com baixa autoestima, que não reconhece seu valor e acaba por permanecer na relação prejudicial ao seu bem-estar. Uma elevada autoestima contribui para que você se aceite, se ame e se respeite e agindo dessa forma, saberá impor limites, saberá agir para que receba somente aquilo que merece, não permitindo vivenciar situações humilhantes em nenhum espaço em que viva, pois saberá como lidar e o que fazer para ser dona de si mesma. Autoestima elevada é libertador e só você pode fazer isso por você.

Cuidar da autoestima é cuidar de sua saúde mental. É liberdade! É vida!

E uma dica que posso te dá, desde já, é: anote suas qualidades e todas as coisas boas que você sabe fazer...e faz bem!

Confiar mais em si mesma é o caminho para ser feliz. Conte comigo!

 

Paula Bezerra - Psicóloga CRP-03/9980

Psicóloga clínica há 7 anos e Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental. Experiência no tratamento de ansiedade, síndrome do pânico, depressão, estresse e Burnout, autoconhecimento e autoestima, conflitos familiares e relacionamentos amorosos.

*Imagem retirada do site: https://www.mulheresbemresolvidas.com.br/melhorar-a-autoestima/

Referências:

https://www.psicologoeterapia.com.br/blog/o-que-e-autoestima-baixa-e-alta-e-qual-significado/

https://www.psicorientacao.com/o-que-e-autoestima