Erro

A Depressão e a Sociedade

Postado por Raquel Magalhães de Mello em 02/09/2018 19:16:35


"Como você não é feliz? Você tem tudo!" "Você precisa de um tanque de roupa para lavar" "Só tem depressão rico, que não tem que se preocupar com dinheiro" e por aí vai as frases que as pessoas com depressão escutam todos os dias. 

A depressão só cresce e junto com ela o preconceito. O relatório da Organização Mundial da Saúde ( OMS ) em 2015 aponta que o número de casos de depressão aumentou 18% entre 2005 e 2015. 

"A Depressão é resultado de uma complexa interação de fatores sociais, psicológicos e biológicos. Pessoas que passaram por eventos adversos durante a vida (desemprego, luto, trauma psicológico) são mais propensas a desenvolver depressão. A depressão pode, por sua vez, levar a mais estresse e disfunção e piorar a situação de vida da pessoa afetada e o transtorno em si." OMS

Mas perceber a depressão como um transtorno é algo fundamental , não só pela questão do tratamento , mas principalmente pelo respeito e empatia. 

Nossa sociedade , cada vez mais "eufórica e feliz" exige que todos estejam 100% do tempo bem e principalmente realizados, e daí vem a intolerância com quem possui depressão.

A depressão está vinculada ao esteriótipo da tristeza, o que nem sempre é verdade, existem pacientes irritados, agressivos que estão em quadro depressivo.

A tristeza é uma emoção que na sociedade atual é escondida a todo custo, desde as redes sociais até o grupo de amigos .Poucas pessoas se sentem a vontade para dizer quando estão tristes , outras , quando falam, são julgadas e muitas vezes massacradas pelos mais próximos. 

Resultado: cada dia mais o transtorno se alastra.

Vivemos em um mundo onde a aceleração do pensamento já se torna uma patologia, onde a sensibilidade do ser humano é questionada em sua intensidade, onde os desafios sociais se apresentam travestidos como “brincadeiras” e o respeito pela dor do outro está cada vez mais distante de se tornar uma verdadeira empatia.

A depressão é um transtorno que necessita do apoio da família e social. Suicídio, automutilação, anorexia, bulimia não são temas distantes em nosso país, muito pelo contrário, a cada dia temos um aumento do número de demandas, talvez pelo aumento estatístico ou talvez por esclarecimento das pessoas e pedido de ajuda. Seja por qual motivo for os riscos da depressão não devem cair em conceitos pré-determinados, devemos ter atenção e acolhimento a maneira correta.

Peça ajuda! Ofereça ajuda! Só dessa forma iremos fazer a diferença na sociedade.