Erro

Não faça do amor um banco de crédito

Postado por Juliana Ferraz e Ferraz em 04/10/2018 16:59:11


Ouço muitas vezes a mesma reclamação, tanto de casais de amigos quanto de pacientes: “Eu fiz isso porque eu fui machucado primeiro. Tenho crédito”. Mas que “crédito” é esse? Vamos analisar?

Até nos casais mais funcionais pode surgir algum tipo de conflito. E acredite, pode ser pela coisa mais banal do mundo, como por exemplo a escolha do filme que vão assistir, para qual restaurante vão ou até as mais complexas, como o melhor tipo de educação para os filhos ou conciliar as finanças. Porém, muitas vezes o problema não é conteúdo, mas sim a forma de se comunicar. É natural que haja opiniões diferentes dentro de um relacionamento. Mas o casal está se utilizando de uma comunicação defensiva ou assertiva?

Comunicação defensiva é aquela onde uma pessoa se sente atacada quando outra vem com uma opinião contrária à dela e, com isso, pode responder de forma agressiva ou passiva. Quando a pessoa responde de forma agressiva, geralmente ocorrem muitas interrupções, gritaria, muita gesticulação, movimentação corporal intensa, entre outros. Já na forma passiva, a pessoa “engole o sapo” e deposita a sua frustração no banco do amor. Aos olhos dos dois, o problema foi resolvido, mas na verdade ele só está na poupança inconsciente da pessoa magoada e isso vai estourar com juros e correção amorosa um pouco mais lá para frente. Afinal de contas, ela foi machucada e não revidou. Ela fará isso em outro momento. Tem crédito para ser violenta com a pessoa que ama. O silêncio nunca foi remédio para dor.

Já na comunicação assertiva, ambas expõem suas opiniões de forma a tentar entender o lado do outro e, assim, tentam chegar a um denominador comum. Mesmo que tenham que conversar por muito tempo ou levantar argumentos e fatos para embasar melhor o seu ponto de vista, mas sem machucar com quem se fala e nem desmerecendo ou diminuindo a sua opinião. Ainda que isso ocorra (as pessoas não são perfeitas), aquela que foi machucada se utiliza da comunicação assertiva para dizer como está se sentindo, o que aconteceu para ela estar se sentindo desse jeito e que não quer que isso ocorra.

“Eu não gostei do tom que você usou comigo. Achei grosseiro/desnecessário. Você não precisava ter falado isso dessa maneira. Isso me deixa triste e me afasta de você”.

Por outro lado, quem ouve essa mensagem precisa ser receptivo a essa crítica e se desculpar de forma sincera.

“Desculpe. Não percebi que te machuquei. Não foi a minha intenção. Você perdoa?”

Agora, sim! Mal-estar resolvido. Casal mais unido. Sem mágoas, pode-se trilhar por um caminho mais gostoso com quem se ama ao invés de travar uma guerra num campo minado. Experimente. ;)