Erro

Saúde Mental na Quarentena

Postado por Bruno Mello em 27/04/2020 13:29:05


Diversos tipos de Coronavirus vêm sendo relatados há décadas, os mais famosos casos foram a SARS em 2002 e a MERS em 2012. O novo Coronavírus, COVID-19, começou seus primeiros casos confirmados em dezembro na China e demorou poucas semanas para chegar à Europa e, após, ao Brasil. Portanto, nosso país encontra-se em Quarentena e assim deve-se manter pelas próximas semanas. Para alguns está sendo muito difícil lidar com a impossibilidade de conviver em sociedade, visitar amigos e familiares ou até mesmo trabalhar. Entretanto, de alguma forma, esse momento é um desafio para todos nós e devemos dar a devida atenção à ele.

Por tudo que hoje enfrentamos, devemos expandir nossas compreensões sobre Luto. Esse sentimento não é sentido apenas quando perdemos um familiar, amigo ou ente querido. Enfrentamos o Luto quando perdemos contato com quem amamos, com nosso estilo de vida, trabalho, amigos, afinidades e rotinas. Estamos lidando com Luto porque estamos lidando com perdas.

Estágios do Luto

Os cinco Estágios do Luto propostos por Elizabeth Kübler-Ross, destacam que todos nós podemos ter dificuldades na aceitação da perda. Mecanismos de Defesa para lidar com a dor, o medo e receio frente mudanças, mas também uma forma de não lidar com a realidade que estamos vivendo.

O primeiro estágio que enfrentamos é a Negação, não aceitamos que a doença é assim tão grave, dizemos que ela nunca virá ao Brasil, que é uma conspiração para complicar nossa economia e tantas outras falácias que não necessitam muito tempo nas redes sociais para se deparar. Em seguida vem a Raiva, percebemos que algo está nos atingindo, ainda não lidamos racionalmente com o problema, ainda lidamos emocionalmente, de formas inverossímeis e que não geram solução. Brigamos com quem discorda e nos irritamos com as repercussões, seja por acreditar ou desacreditar.

Após vem a Barganha. Vemos notícias de pessoas que se infectaram, amigos ou que estão em nossa cidade. Começamos a nos revoltar com o que ocorre e dialogar conosco sobre como seria se tivéssemos feito algo diferente. O quarto estágio é a Depressão. O risco é real e podemos ser infectados, é normal ter medo, receio, querem estar perto das pessoas que amamos, sentir saudades, querer sair de casa a todo custo, sobretudo, é difícil lidar com a impossibilidade. O último estágio é a Aceitação. Fortalecemos a convicção e a necessidade de fazermos Quarentena, de mantermos contato virtual com quem sentimos falta, passamos a palavra à frente e indicamos Quarentena a todos.

Como lidar com a Quarentena?


Durante esse processo de aceitação emocional e modificação de comportamentos, que dura pouco tempo para alguns e bastante para outros, podemos ter uma mistura de sentimentos nem sempre fáceis de lidar. A pergunta é: “Você sabe o que vem sentindo durante a Quarentena? Consegue mapear e decifrar seus sentimentos? Tem conversado com amigos, familiares, marido ou mulher, sobre como está o seu emocional?” Esse pode ser o melhor momento. Mesmo para você que está sozinho em casa, procure apoio emocional, alicerce familiar, ocupação sem sair de casa, aprendizados novos, novos desafios.

Lidando com Ansiedade na Quarentena

Seguindo um diagnóstico e avaliação para Transtornos de Ansiedade, podemos elencar alguns sintomas comuns em muitos de nós nesse momento, como Antecipação Negativa, Catastrofização, Dificuldade para Dormir, Cansaço, Fadiga, Agitação, Tremores, Dificuldade para organizar ideias ou executar tarefas, Pensamentos negativos persistentes, dentre outros. Existem então meios para facilitar a convivência com si mesmo e com os outros durante a Quarentena?

Evite o Excesso de Informação


Não podemos deixar de nos informar e, talvez, nem seja possível. Contudo se por um lado assistir noticiários nos atualiza no que acontece porta afora, por outro pode nos deixar mais ansiosos, preocupados e temerosos. Informe-se, assista aos jornais, procure redes de notícias de credibilidade, ao receber uma notícia no grupo de WhatsApp verifique a fonte, verifique se a notícia é verdadeira. Evitar o excesso de informação pode nos direcionar para mantermos os cuidados necessários com nossa saúde, mas também para diminui nossas respostas emocionais disfuncionais frente à Pandemia. Neste momento precisamos manter a calma e a razão.

Morando com alguém


Durante quarentena não temos escolha para preservar nosso espaço e território dentro de casa, teremos limitações e devemos ter parcimônia para evitar, mas também, resolver conflitos. Entretanto, é também o momento para se aproximar de quem mora com você, ter atenção com essas pessoas, fazer uma janta e aproveitar o momento todos juntos, jogar, assistir, interagir e facilitar boas relações.

Evite a Catastrofização


Lide com os fatos, com dados baseados em estudos científicos, esses podem ajudar na prevenção e nas medidas necessárias para evitar o contágio. Entretanto, não presuma que a Pandemia irá piorar nos próximos dias, não estoque comida ou utensílios de higiene, não propague informações sem embasamento científico. Mantenha a calma, lide com um dia de cada vez.

Mantenha uma rotina diária


Continue a fazer o que você sempre fez. Sua rotina é acordar, tomar banho, café, se vestir e trabalhar? Ótimo, mantenha isso. A Quarentena eventualmente terminará e teremos que voltar ao nosso funcionamento diário padrão. Trabalhar em casa, contudo, exige muito menos porque nos sentimos menos cobrados e estamos em um ambiente seguro e confortável, nossa casa. Assim teremos mais tempo para nós mesmos e devemos aproveitar esse tempo para aprender coisas novas, seja uma língua ou algo que sempre quis mas nunca teve tempo, ler um livro, maratonar aquela série, meditar, conversar com amigos e familiares por vídeo chamada, uma ou duas vezes ao dia ficar na janela de casa tomando sol.

Demonstre Empatia com todos em quarentena


Para algumas pessoas este momento está sendo mais difícil do que para outros. Pensando nisso, seja empático, ofereça apoio emocional, atenção, seja um bom ouvinte, evite julgar, entretanto, se envolva na tentativa de ajudar o outro.

Você não está sozinho!


Não está sendo fácil para ninguém, é verdade. Contudo, devemos nos manter unidos em apoio e ajuda. Mantenha contato com quem você ama, fazer as pazes com aquela pessoa com quem brigou, se aproximar de seus filhos, manter boas relações com parceiros de negócios e de trabalho. Converse com um profissional sobre como está se sentindo, isso poderá lhe ajudar muito a lidar com seus sentimentos.

Mais informações:

  1. Dados sobre contágio do Coronavirus (https://www.worldometers.info/coronavirus/#countries)
  2. Organização Mundial da Saúde (https://www.who.int/health-topics/coronavirus)