Erro

Pesos que carregamos

Postado por Gabriel Pereira de Abreu Nunes em 09/09/2021 11:17


Neste artigo abordarei um pouco sobre o manejo a forma como carregamos o peso em nossas vidas, alguns somos nós que atraimos outros lançam sobre nós.

Temos que rever as vezes se não estamos levando além do que conseguimos o que percebemos que almejamos, a ilustração, mostra o exemplo do navio e como as vezes ao se âncoras em locais ou situações até pessoas, as vezes nos prendendo aonde não nos ajuda e para largar fica mais difícil.

Cada situação nós devemos  avaliar e vê aonde estamos nos prendendo e se vale apena ficar ali, levar a carga daquela pessoa  ou local,  não sobrecarregue seu navio, ajude ele a ficar mais leve a navegar melhor e vc julgar aonde deve jogar e âncora seus objetivos e sonhos de forma que  não lhe prejudique,  mais acrescente ou impulsione voce.

Dessa forma vera melhor aonde quer chegar, e se os pesos que carrega são seus ou são de outros que colocaram em você na sua trajetoria, reflita sempre, para se necessário e pense um minuto, busque ajuda isso pode valer bem mais do que continuar a deriva sem notar tudo que acarreta a bagagem que carrega.

Carrega por muito  tempo uma coisa que não é sua  acaba atraindo  questões e problemas que não não seus e fazer você se prender se âncoras a situações que não quer e se perder e ter dificuldade de sair depois, terá que refazer o caminho para o início, e parti dali novamente

É necessário nesse processo aprender a descarrega o que não lhe acrescenta mais, deixar esse pesos, as vezes coisas antigas, pessoas que inflamaram sua mente, situações ou seja locais em que  seu navio passou , tudo isso, culmina para sua melhoria, vai refletindo e vá se esvaziando se você perceber que está indo mais rápido então está no caminho certo, é necessário rever sempre os conceitos de ciclos em nossas vidas, algo que nos fez bem no passado hoje as vezes não faz maia por isso no meio disso é importante apreender a se desapagar de muitas coisas para que novas venham.

 

 

 

Curtiu? Me siga para mais artigos no insta; @psic.gabrielpereira