Erro

Flertes Doentios

Postado por Lucas da Silva em 21/06/2022 13:21


 Tenho que admitir que nos últimos anos tenho afiado meu olhar comercial, e notado a maneira de como que a mídia de um modo geral, sendo em propagandas, seriados, revistas, filmes ou até mesmo em videoclipes, tem me "temperado" para as diferentes formas de sedução e flerte. Sabe, comporte-se de tal forma que você atrairá mais pessoas, use esse perfume que seu sex appeal aumentará, se vista assim para despertar muitos olhares, torne-se interessante em 6 passos, entre outras infinitas coisas, que obviamente o pessoal do marketing fez exatamente pra atingir quem observa, lê e consome seus conteúdos, absorvendo assim a ideia que eles desejam passar e melhor ainda a comprando.

  Como não sou estudioso sobre, só posso definir o marketing em poucos passos e de uma maneira leiga como: estudar, preparar, mostrar e vender, focando na parte do estudar, dá pra se perceber que o comportamento social de se sobressair no meio da multidão é uma das bases de estudo, afinal quem não gosta de ser o centro das atenções? Mas calma, o problema não é no marketing, que inclusive admiro muito, e sim em como nós chegamos nesse ponto de influência. Sabe aquela frase de alguns livros antigos de Ciência: "Nasce, cresce, se reproduz e morre.", acredito que grande parte de nós fica preso nas complicações dessas fases do desenvolvimento, sendo a mais complicada a do reproduz, essa palavrinha é bem ambígua, porque podemos ir ao encontro do sentido literal, o de perpetuação de espécie (Crushes casuais, namoros, noivados, casórios, etc) ou em um mote mais filosófico, pensar em nossa capacidade de reproduzirmos um comportamento já pronto (das desgraças da padronização). Sendo que as duas maneiras de interpretá-la influenciam e muito em nossa vida, pois queremos pares e também queremos pertencer, inclusive esses dois desejos se cruzam criando objetivos nas nossas vidas, tá vendo que complicado que é ser "marketeiro"?

  O pulo do felino (Pros mais íntimos, gato) é em como nos deixamos levar por essa ideia de que precisamos ser utopicamente sedutores, donos da sensualidade e da atração e conquistadores de todos os olhares e corpos. Esse tipo de pensamento se torna um perigoso veneno em nossas vidas de flerte, inclusive em escalas doentias, afetando nosso olhar sobre nós mesmos e nossa auto-estima. Digamos que você acredita estar no ápice de tudo que foi vendido pra você como sendo impulsionador de sedução, corte de cabelo do momento, melhor perfume, roupa das tendências atuais e você está se comportando como uma grande entidade sedutora (Afrodite chora aos seus pés), tomando um drink sozinho em um pub,  pois foi isso que aquele blog te disse para fazer, e que isso irira aumentar sua desenvoltura nos flertes, só que quando chega o momento crucial de chegar junto, você recebe um poderoso NÃO. Ok, também pode ser um "Não quero nada sério no momento" ou ainda "Você não faz o meu tipo", mas vamos admitir é difícil quem sai de uma dessas sem sofrer ao menos um pequeno impacto no ego.

  E por que nos deixamos afetar tanto por uma rejeição? A explicação mais assertiva é associada a ideia do marketing social ali de cima, somos bombardeados por informações que nos moldam para sermos donos da conquista, nos adequamos, inclusive utilizamos as dicas de alguns amigos para tal, mas depois de tanto esforço e modelagem, o fato de não obtermos o resultado esperado, é algo frustrante. E a grande problemática aqui é que deixamos nos iludir de que exista um modo certo de conquistar outras pessoas, adequando-se a padrões e modelos, mas esquecemos da maior verdade sobre os flertes, paixões e amores, que é o fato de que pra dar certo, você precisa ser você! Mais certo do que isso é o fato de que ninguém sustenta ser sedutor o tempo todoAlém disso as pessoas não tem obrigação de se sentirem atraídas por você, e é uma verdade dura, mas depois que você entende o conceito, aceita os foras de maneira mais sensata e madura. Afinal o fato do seu objeto de desejo não ser recíproco, não impede que você seja objeto de desejo de outra pessoa. E olha são tantas pessoas no mundo e tantas possibilidades, que se você desencanar desse modelo de flerte doentio e sofrer menos por ele, quem sabe não se torna até mais sedutor (Você viu o que eu fiz aqui né? Haha!).

Lucas da Silva - Psicólogo

CRP 12/17971