Erro

Complexo de Wendy - O que é? Quais os sintomas?

Postado por Giovana Bruno da Silva em 27/05/2021 11:13


O nome desta síndrome se dá por inspiração à personagem companheira de Peter Pan, que assim como os indivíduos que sofrem deste complexo apresenta extremo cuidado ao seu parceiro e uma constante necessidade de aprovação do mesmo, ou seja, são pessoas que através deste zelo excessivo acabam se deixando de lado, com a finalidade de ser aceito e amado pelo outro.

Este síndrome também pode afetar homens? Sim, pode ser que você já tenha visto homens que se importam tanto com as necessidades do outro que deixaram suas necessidades de lado, mas é uma síndrome muito mais comum entre as mulheres. Provavelmente isto se dá por questões culturais, de forma que em algumas culturas mais machistas as mulheres ainda são educadas com mais atribuições e papéis por conta de seu gênero, agindo então como mães superprotetoras.

Principais características:

  • Medo da rejeição
  • Insegurança e baixa autoestima
  • Põe as necessidades do outro sempre frente à suas / renúncia de si mesmo.
  • Perfeccionismo
  • Culpa em excesso
  • Cuidar do outro para ser aceito/amado
  • Necessidades de aceitação

As consequências desta síndrome se resumem em problemas em relacionamentos, constante sensação de culpa e de falta de controle. Distúrbios emocionais como tristeza, ansiedade, insegurança e baixa autoestima também são decorrentes.

Muitas vezes a existência desta síndrome se relaciona com a existência de algum “Peter Pan” na vida desta pessoa também.

Psicoterapia como tratamento:

  • Desconstrução da necessidade em ser aceito: onde este habito se iniciou, qual intensidade dele, quais resistências em deixa-lo e ressignificação do mesmo.
  • O tratamento auxilia o paciente a se colocar em primeiro lugar através do autoconhecimento e reconhecimento de virtudes.
  • O ato de aprender a dizer não e delegar tarefas e a delegar tarefas também é abordado, trazendo para primeiro plano os sonhos, desejos e vontades reais do indivíduo.

O tratamento consiste também na ressignificação do que é “amor” para o indivíduo, tanto o amor próprio tanto como o amor ao outro. Amor é dar e receber, não se trata de apenas dizer sim. É algo construído por dois. Ser feliz na solidão é necessário, para entender que sem o outro nosso mundo não vai acabar.

Para entrar em contato comigo, clique aquiFico à disposição para dúvidas, informações e agendamentos.

Giovana Bruno da Silva

Psicóloga Clínica - CRP 06/163924